top of page

MOVIMENTANDO A CENA - A REVOLUÇÃO DA ARTE NA QUEBRADA ALIADA AS NOVAS VERTENTES DO RAP

Veja como a juventude das quebradas de Belo Horizonte tem inovado no cenário musical através de gêneros poucos conhecidos, que é o diferencial do coletivo Movimenta.REC, que viralizaram na internet quando soltaram a prévia de um Detroit Rap mineiramente periférico.


Entre os anos 90 e 2000, quando as influentes equipes de rap Street Lord’z e Eastside Chedda Boyz estavam se movimentando, Detroit já era o lar de uma das cenas de rap mais criativas e competitivas do hip-hop americano. Mas, além de estrelas como Eminem e Big Sean, a maior parte da cena foi limitada por uma bolha do Meio-Oeste, parecida com a que encontramos em Minas Gerais, em estados do Nordeste e até mesmo no Sul do Brasil. Então, a música rap em Detroit raramente tentou soar como se fosse de qualquer outro lugar. A grande maioria dos rappers e produtores da cidade muitas vezes se sentem completamente desligados às tendências do mercado. Para os artistas de hip-hop de Detroit, sua cidade é o centro do mundo. E, lentamente, o mundo do rap começou a apreciar a cena de Detroit. A base de sua popularidade atual foi lançada no início de 2010 por meio do surgimento de grupos como Team Eastside e Doughboyz Cashout que explodiram na segunda metade da década com discos que eram inevitáveis para qualquer pessoa que prestasse atenção ao hip-hop norte americano. Este trabalho de base preparou o cenário para um avanço, que finalmente aconteceu em 2020, que levou também essa juventude artística de Belo Horizonte a criar através destas referências baseadas em novas vertentes do rap que se popularizaram nas periferias brasileiras, mesmo ainda não sendo algo comum na cena nacional.

Portanto, observamos que entre o centro e as zonas periféricas das cidades, existe um fluxo de informação trocada e através delas borbulham várias ideias, trocas e conhecimentos. O resultado disso é o afro-futurismo brasileiro, onde nos conectamos com nossos antepassados de uma forma contemporânea e visionaria, se encaixando em nossas vivências, através da cultura em geral, seja na música, fotografia ou moda.


Em meio a esse berço criativo subcultural, nasceu o projeto “Movimenta REC” onde Sé7imo Filho, VL, UAID, Dudda D’ Cria e Fernanda Azante idealizaram um projeto musical tendo referências no Detroit americano, gênero que nasceu na cidade de Detroit, no Michigan, EUA. Porém eles vieram com uma abordagem influenciada pela herança afro-brasileira. Nela os artistas colocaram suas vivências, gírias e reflexões na música, que viralizou na internet, chamando atenção e chocando artistas como Djonga, um dos maiores rappers do país, que comenta no vídeo da prévia: “Blabo”.


Nós da BR CRIA estamos sempre buscando jovens das periferias do Brasil que estejam criando e inovando, sendo assim, encontramos os integrantes do coletivo e podemos conhecer mais sobre a história deles e sobre o foco geral do grupo através de uma breve entrevista dada para a revista.


Veja a entrevista e o editorial fotográfico do nosso encontro logo abaixo.


















91 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page